Eventos realizados

Jubileu SBCCP

2017 foi o ano em que Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço comemorou seu cinquentenário. Um marco para a medicina. Hoje, a SBCCP é a maior da especialidade na América Latina e a segunda das co-irmãs no mundo. Preparamos um vídeo para comemorar a ocasião. Assista.

Cinco décadas de conquistas e avanços firmam especialidade de Cabeça e Pescoço

SBCCP comemora Jubileu de 50 Anos com um dos mais importantes eventos da especialidade.

por Mariana Veltri

O 26o Congresso Brasileiro de Cirurgia de Cabeça e Pescoço teve início nesta quinta-feira, 24/08, no Royal Tulip – RJ, reunindo cerca de 800 participantes, entre os expoentes nacionais e internacionais. O encontro resgatou a história da fundação da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e apresentou a evolução da ciência na especialidade.

Fizeram parte da cerimônia de abertura: Luciara Giacobe, fonoaudióloga representando a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG); Andressa Freitas, presidente do 11o Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia em Cabeça e Pescoço; Dr. Roberto Araújo Lima, presidente técnico-científico do Congresso; Dr. Fernando Dias, presidente executivo e administrativo do Congresso; Dr. Jacob Kligerman, presidente honorário do Congresso e Dr. Fernando Walder, presidente da SBCCP.

Num cenário de crise que vive o país, os participantes destacaram a luta pelo reconhecimento da especialidade em políticas públicas e como tornar viável o acesso ao tratamento junto aos avanços tecnológicos e a inclusão dos pacientes no convívio social.

Luciara Giacobe frisou a importância do empenho da especialidade em juntar mais profissionais para atender os casos de câncer de cabeça e pescoço. “Existe muita disparidade, nosso Brasil é muito grande. Sou do oeste de Santa Catarina e a única profissional de cabeça e pescoço. Não adianta os médicos operarem e os pacientes não serem incluídos na sociedade”, ressalta.

Para solucionar esse quesito, a ACBG está acompanhando o Projeto Nacional Rede mais Voz, do Ministério da Saúde, que visitará todas as instituições do Brasil que trabalham com este tipo de paciente, afim de conhecer os profissionais, pacientes e ver as demandas e necessidades.

Entre os avanços deste ano está o projeto de lei que institui o mês de julho como o mês nacional de prevenção do câncer de cabeça e pescoço e um segundo projeto, que institui o 11 de Agosto, como o Dia Nacional do Laringectomizado. Esse ano, em parceria com todas as instituições, o Julho Verde impactou 600 mil pessoas nas redes sociais.

Andressa Freitas alertou para as previsões catastróficas do câncer de cabeça e pescoço, que está ultrapassando as doenças cardiovasculares em números de óbitos a partir de 2030.

“O congresso é uma oportunidade ideal para nos atualizarmos e identificarmos os parceiros para compor nosso exército. Nós, fonoaudiólogos, temos uma importante tarefa de agregar qualidade de vida aos pacientes tratados nessa patologia e mais ainda, para aqueles que não mais podem ser tratados”, ressalta.

Dr. Roberto Araújo Lima falou da importância da parte cientifica desse congresso em novas tecnologias no tratamento do câncer, embora tenhamos que considerar que o Brasil não seja um dos países mais ricos. “As novas tecnologias devem ser encaradas com muito cuidado, porque esse sistema é muito frágil, agravado nos último anos, devido às crises que nós vivemos”, frisa.

A ação multidisciplinar da medicina com a fonoaudiologia reflete o caráter emergencial no fortalecimento para o crescimento do setor de cabeça e pescoço. “A realização desse congresso foi marcada pela adversidade. Vivemos a pior recessão da história desse país, agravada por uma crise moral sem precedentes. Mas é na adversidade que se conhece o homem, diz o ditado. E pela adversidade que nós não olvidamos esforços para lhes oferecer um evento à altura da nossa sociedade, rica em atividades sociais”, destacou Dr. Fernando Dias.

Experiência compartilhada com quatro dos maiores especialistas internacionais: Bert W. O’Malley Jr (University of Pennsylvania – USA); Giuseppe Spriano (Dipartimento di Neuroscienze e Primario Divisione di Otorinolaringoiatria e Chirurgia Cervico-Facciale – Roma); Jeremy Freeman (Mount Sinai Hospital – Canada) e Robert Ferris (University of Pittsburgh – USA).

O presidente honorário do Congresso, Dr. Jacob Kligerman, relembrou a fundação da SBCCP, em 1967, na qual esteve presente. Ainda jovem, presenciou a reunião na Associação Paulista de Medicina em SP, realizada com Dr. Jorge Fairbanks, Jorge de Marsillac e Dr. Anísio Toledo, a qual deu origem a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça Pescoço. Hoje, em seu cinquentenário, atingiu sua maturidade, propiciando um primoroso ambiente científico, constituindo edificante exemplo para a cirurgia brasileira.

“É notório que o país passa por sérios problemas econômicos, políticos e éticos, com perdas imensas para a medicina pública, suplementar e privada. Cabe a nós lutarmos, fortalecendo a SBCCP para comandar a luta pelos nossos direitos e deveres. Citando Mark Holberg, do setor de cirurgia da Universidade de Nova York: para ser um bom cirurgião, é necessário humildade para ensinar, praticando com humildade, esperança, humanidade, transparência, compaixão e, principalmente ética profissional”, diz.

Dr. Fernando Walder, presidente da SBCCP, finalizou a cerimônia destacando o profissionalismo e empenho de cada presidente da Sociedade e dedicação da equipe organizadora. “Dentro dessa plateia existem vários ex-presidentes da SBCCP, que deram seu tempo, dinheiro e neurônio, para fazer essa sociedade chegar onde está chegando. A gente é pequeno, mas faz barulho. São 700 pessoas com mentes brilhantes, que trabalhando junto, permitem fazer um congresso desse jeito. E vamos esperar pelos próximos 50 anos”.

XXVI Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço-16

XXVI Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço-17

XXVI Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço-18

XXVI Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço-19

XXVI Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço-22

Mídia

Ver mais

Palavra do Presidente

Fernando Walder

Prezados colegas. Estamos diante de uma das maiores crises já vivenciadas por este país. Enfrentamos um turbilhão de dúvidas econômicas e políticas que, ameaçam a estabilidade alcançada ao longo de anos. Tais incertezas trouxeram de volta o fantasma da inflação e desemprego.

Saiba mais